Seguindo uma harmonia, benfazeja

Seguindo uma harmonia, benfazeja

Eu sei, expectativa, espera, incerteza...

Hoje somos, temos, pensamos assim.

O quero, o que preciso, o que desejo, 

Que nunca chega, parece que não ter fim.

Tem horas que acho que vou me afogar

Ou será que tudo isso vai sair de mim?


Estive nadando num mar de ansiedade

Cheio de violentas ondas de saudade.

Para completar vem a auto-sabotagem

Fazendo a mente entrar nessa viagem

Em um barquinho feito de papel

Sem ter onde atracar, ao léu.

É puro desespero e rezo, porém espero, 

Que ligeiro algo me caia do céu.

Sonhar pode, sonhar prefiro.

Imagino que isso é um sonho

E que dele posso acordar.


As horas chamam, a inércia nos mata

Mas já nem me preocupo mais

Abandono a mala cheia de dificuldades, a se desviar

Lembro-me de que num instante, lembrar de ti, pode me fazer flutuar.


Nem me pergunte se essa é uma sensação, uma passagem

Superar minhas expectativas, ainda que nem as tenha como imagem.

Pode ser que um dia eu me mude

Melhor que ficar estagnado, 

Vendo a vida passar ao lado.

Mas agora não. É outono.

E as flores já não seguem a ordem natural, as folhas cairão!

Sinto esse doce perfume, as mesmas loucuras, os mesmos costumes;

Eles fazem até ferro atrofiar.

Mas nem me pergunte

Se essa sensação é miragem, 

Se é ilusão ou delírio.

Passarei também o inverno inteiro

E não sentirei frio.

Até chegar a primavera, seja com muita ou pouca espera.

Nada constará, a não ser a harmonia, benfazeja,

De novamente lhe encontrar.


Retornar o verão a me aquecer

Meu corpo,minha mente, minha razão.

Será um novo tempo, uma nova estação.

Será apenas mais uma estação.

23 visualizações

Textos Publicados

Receba notificações de novas postagens
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • Pinterest ícone social

© 2020 - Blog Autoral de José Neto