A dor como força motriz

Dor

Que sentimos

Sem nunca querer.


Dor

Por perda, castigo, angústia

De ferida, moléstia, perecer.


Dor

Que aprendemos a suportar

Sem ninguém ter de ensinar.


Dor

Se física, podemos remediar

Se sentimental, remédio não há.


--


Dor

Que uma hora vai passar

Fato, que nada adianta reclamar.


Dor

De conciência, leve ou pesada

Seja por pensar, por não pesar.


Dor

Ingrata pelo ato em si, e avança

Tanto que até n'alma alcança.


Dor

Do mundo que tem pressa

De todos os que têm pressa.


--


Dor

Do medo de perdermos tempo

De ficarmos sem tempo a perder.


Dor

Por correr do tempo, com o tempo

Contra o tempo, pelo tempo correr.


Dor

Da hora que não passa, que passa.

Pela vontade que cobra.


Dor

No corpo que corre, que não corre.

No desejo que sobra.


--


Dor

Pela mente que sofre

Pelo corpo dormente.


Dor

Cabeça não pensa, corpo padece.

O corpo não mente. A mente sim.


Dor

"Mens sana in corpore sano".

O corpo se cansa. A mente não.


Dor

Sem deixar dizer dela, a paixão

Que não finda nem com amor.


--


Contudo, o viver tem sabor,

Até na espera.


Por vezes, com amargor,

A luta supera.


Curar-se de toda dor,

Quem nos dera.


Suportar qualquer dor,

Uma quimera.


Aprender com a dor,

Ah... quem pudera!

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Textos Publicados

Receba notificações de novas postagens
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • Pinterest ícone social

© 2021 - Blog Autoral de José Neto

Loja Virtual - CPF: 111.485.578-22  -  Rua Quararibeia, 300  Vila Isa  -  São Paulo/SP - CEP  04689-160  contato: (11) 98318.5183   fracaodetempo.com@gmail.com