Quem acredita espera, até que alcança

                       Passo 1 Se o amor por ser exato não cabe si E por ser encantado, o amor revela-se Apenas por ser amor, invade e fim.

Se um veleiro repousasse em minha mão E a mim tocasse, com sentimento Partiria rumo certo ao meu coração.

Se um dia alguém me peguntar por que voltei E voltasse, mesmo que alguém nem esperasse No tempo aonde estive, nada mais passasse.


                       Passo 2 Se os olhos são como o espelho d'alma E a força de um olhar faz o corpo tremer

Resgatar a esperança dentro de mim Lá se vão as águas para o mar sem fim.

Se o futuro não é mais como era antigamente E a verdade é nada mais que tecido velho Quimeras, anseios que vamos conseguir.

Se a dúvida se faz mais forte ante a certeza E embora pouco nos reste mais que a esperança Vamos embora... pois que tanto adianta esperar!?


                       Passo 3 Se risonhos lindos campos têm mais flores E a alegria nos olhos da criança é viver Que venham dias, galos, noites e quintais.

Se ainda se quer alguém em quem confiar E enquanto desconfia-se da própria sombra Ensimesmado, julga-se-á ser o bastante.

Se em caráter terminativo vê-se o mundo E em angústia teme-se a vinda do novo Nada em vão, se arraigados somos, firmes formos, êxito teremos.


(Versos incidentais inspirados em Djavan, Jesse, Belchior, Renato Russo, Vandré, Banda Zero e Hino Nacional)

20 visualizações

Textos Publicados

Receba notificações de novas postagens
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • Pinterest ícone social

© 2020 - Blog Autoral de José Neto