Citando Pitágoras e a Matemática da Vida

O filósofo e matemático Pitágoras, dentre seus grandes feitos, era visto como profeta. A ele se atribui a máxima: “O princípio de tudo é número! " Isto é, tudo está revelado em números. Porém, é mais conhecido o seu teorema, que diz:


A soma dos quadrados dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa”.

ou;

“O quadrado da medida da hipotenusa é igual à soma dos quadrados das medidas dos catetos”.


De onde obtemos a Fórmula: a² = b² + c².


Obviamente estamos falando de matemática pura, o que chamamos de “Exatas”.


Bem, e se pudermos analisar por outro ângulo, o da matemática da vida, temos:


· A soma do quadrado dos nossos medos é igual ao quadrado da falta de nossas atitutudes.

ou;

· O quadrado da medida de nossas boas ações é igual a soma dos quadrados dos nossos melhores planos.


· A soma do quadrado do comprimento do início ao fim do caminho é igual a soma do quadrado do comprimento do caminho de ida e do caminho de volta.

ou;

· O quadrado da extensão do amor humano é igual ao somatório dos quadradros dos sentimentos nobres, a bondade e a compaixão humana.


Opa! Longe de mim lançar um “pseudorema” (com o perdão da palavra inventada), mas deste modo tornamos essa tal matemática da vida, assim mais “Humanas”.


De onde possamos obter a Fórmula: amor² = bondade² + compaixão².

Amor: forte afeição por outra pessoa, nascida de laços de consanguinidade ou de relações sociais.


Bondade: qualidade de quem tem alma nobre e generosa e é naturalmente inclinado a fazer o bem; benevolência, benignidade, magnanimidade.


Compaixão: sentimento piedoso de simpatia para com a tragédia pessoal de outrem, acompanhado do desejo de minorá-la; participação espiritual na infelicidade alheia que suscita um impulso altruísta de ternura para com o sofredor.


Terá sido esta uma ousada tradução da fórmula pitagórica numa tese "neo-freudiana".


E depois desta analogia surrealista, vale encerrar tomando emprestada a seguinte definição feita por Livia Moura, no site pensador.com:


“Na matemática da vida, aprender é uma operação inversa da conhecida. Quando, quanto mais aprendemos, mais abre-se o leque do que há para aprender, ou seja, quanto mais se aprende, mais descobrimos que sabemos menos do que imaginávamos.”

Inspirado na Coleção “Ponto de Equilibrio”. https://www.pensador.com/colecao/mentalidade/

13 visualizações

Textos Publicados

Receba notificações de novas postagens
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • Pinterest ícone social

© 2020 - Blog Autoral de José Neto