Bondade no coração? Não somente!

E o AMOR, que de tão maiúsculo, faz-se compaixão, tolerância, compreensão, subserviência, dedicação a outrem, com paciência, invocando o altruísmo?

Praticar a contemplação, viver o DHARMA, perceber nossos erros e corrigi-los, sem culpa, reconhecer as qualidades, se valorizar, buscar o autoconhecer, desapegar-se até alcançar o dourado CAMINHO DO MEIO. Antes de seguir este, percorremos caminhos extremos, ora perdidos e reprimidos, ora gozando prazer material, quase revogando a SENDA espiritual.

Viver o Dharma (a retidão), sempre triunfante contra a injustiça, cumprindo a eterna lei da VERDADE superior, vitoriosa enfraquecendo a mentira, a paciência e a tolerância vencendo a raiva. A lei natural não limitando-se a tempo, espaço ou pessoa.

Como apregoam os hindus, a infinita JUSTIÇA do universo se manifesta pela sequência de vidas, onde nenhum débito fica sem ser pago em vida terrena ou espiritual.

Tal objetivo só alcançamos quando estamos integralmente conectados ao UNIVERSO. Afinal somos parte dele. Somos partícula inteira da imensidão cósmica. Somos instrumentos da Orquestra Celestial do CRIADOR. Por ela somos regidos, ainda que a descrença faça valer o livre arbítrio, do qual passamos a regentes de nosso destino. Saibamos que o Universo nunca mudará suas LEIS para nos agradar. Num passado longínquo, sábios da Índia, compreenderam que a maneira mais fácil e perfeita de se conectar com o universo é agir de acordo com as próprias leis da NATUREZA. Como ocorre na afinação de um violão: se apertar demais a corda arrebenta e se deixar frouxa, não afina. Instrumentos da orquestra divina, lembra?

Sócrates, diante do templo em Delfos, contemplara seu lema: “Conhece-te a ti mesmo”. HUMANOS reconhecidos como frágil, físico, pensador, místico e poético, a caminhar na direção de si e do outro, na medida certa, para jamais perder-se. Insuficiente, pois "o essencial é invisível aos olhos", já disse certa obra literária. Se como Pessoa (também o poeta) posemo-nos a "desembrulhar-me e ser Eu", já que "o essencial é saber ver”?


Triste de nós que trazemos a alma vestida!”

Mas isso exige aprendizagem para desaprender". Ou ainda, desprender-se para aprender, retirar as camadas depositadas ao longo da vida para se chegar ao essencial, ao Eu mais verdadeiro?

No TRIÂNGULO do autoconhecimento o inconsciente representa a parte maior. É poderoso, sábio e ilimitado. Assim sendo, quanta FORÇA é necessária para o homem alcançar o SÓLIO? Força bruta, não! Força, Vontade e Determinação, sim. A BOM PROPÓSITO cabe-nos o trabalho social e MORAL, onde o enquadramento individual resultará em ganho para a sociedade, recorrer a CIÊNCIA para transpor níveis, dispondo a alma á prática do BEM, em verdade a prover VIRTUDES. Virtuoso e puro, sendo foco de LUZ, fazer prevalecer a BELEZA perante a Sublime Ordem.

Crescimento individual, constante, paulatino e voluntarioso. Vamos pedir força e a mais alta capacidade de amar, para ajudar as pessoas a encontrarem a forma ideal de caminhar.

A Ciência da Sabedoria Universal nos mostra o caminho, mas não obriga a caminhada.

12 visualizações

Textos Publicados

Receba notificações de novas postagens
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • Pinterest ícone social

© 2020 - Blog Autoral de José Neto